Voltar ao topo.

Terapia com Famílias

No atendimento das famílias, busca-se entender a dinâmica da comunicação, dos papeis e dos relacionamentos, para auxiliar os membros na resolução das dificuldades presentes na família, no seu momento de ciclo de vida;

A família tende a funcionar como um sistema total, as ações e comportamentos de um dos membros influenciam e simultaneamente são influenciados pelos comportamentos de todos os outros. Entende-se que a família continua sendo fundamental para o desenvolvimento de qualquer ser humano.

Que as figuras do pai e da mãe continuam sendo importantes como modelos de amor e de autoridade e na transmissão de valores, é no seio familiar que a criança aprende os primeiros passos, em direção as relações. Hoje, valores se perderam e não foram substituídos, o que faz crescer a ansiedade na busca de respostas para algumas questões:

Como agir quando um filho se envolve com drogas, ou simplesmente vive "desligado”?
Como evitar as desgastantes ciumeiras e discussões dentro de casa?
O que fazer quando os pais são repressivos?
E quando são alcoólatras?
Como enfrentar a falta de dinheiro, de emprego, uma doença ou a perda de um ente querido?
E se a filha adolescente engravidar, ou o filho abandonar a escola?
E se os Pais apresentam medos constantes superprotegendo seus filhos?

Certos acontecimentos podem desestruturar as relações familiares. Sinais de que talvez seja hora de recorrer à terapia familiar.

Quando procurar terapia?
Quando o cuidado dos pais se transforma em superproteção.
Quando o pedido refere a crianças e/ou adolescentes.
Situações familiares que envolvem toda a família e às vezes extrapola o núcleo familiar.
Quadros mais grave - família rígida - pacientes psicóticos.
Quando o pedido refere ao casal, mas com necessidade de presença dos filhos como facilitadores.