Voltar ao topo.

Psicoterapia Sistêmica Familiar e de Casal

A Terapia Familiar Sistêmica nasceu como uma resposta alternativa às limitações que sofreram e sofrem os tratamentos individuais das pessoas que apresentam algum tipo de desequilíbrio emocional, afetando o curso normal de suas vidas.

Para se trabalhar com a Psicoterapia Sistêmica o profissional deve pensar sistemicamente. E o que é pensar Sistemicamente? É pensar que tudo no universo está relacionado a tudo, nada é separado, isolado. E que tudo nesta vida segue uma ordem natural dentro de uma hierarquia. Quando ocorre uma quebra nesta hierárquica, emerge  uma disfunção

Na terapia sistêmica aplica-se a Constelação Familiar que são uma das formas mais eficazes de resolver problemas familiares, empresariais e outros.

Constelações familiares é um conjunto de pessoas que representam e criam uma situação a resolver de forma a encontrarem as respostas aos problemas com que a pessoa se debate, tem a oportunidade de se conhecer e conhecer a sua família de origem e da família atual.

Freqüentemente a pessoa procura dentro de si ou nos outros a razão dos seus problemas ou doenças, mas muitas vezes essa razão encontra-se enraizada em acontecimentos familiares passados que agora se manifestam em si ou na sua família.

A Terapia sistêmica é indicada quando:
- Se vive situações repetitivas;
- Se está agarrado á um hábito ou padrão que se repete sem causa aparente;
- Se os "azares” o perseguem a si ou à sua família;
- Se não percebe porque atrai as pessoas erradas para a sua vida;
- Se as suas relações não funcionam ou não se mantêm;
- Se as coisas em sua vida não avançam apesar de todo o trabalho e o empenho que coloca;
- Se o seu casamento não funciona;
- Se a sua separação ou divórcio não foram o melhor ou se não se sente bem com isso;
- Se procura soluções ou respostas para problemas de saúde;
- Se gostaria de lidar com os seus medos, fobias e ansiedades;
- Se houver em sua família conflito entre as gerações;

A Terapia pode auxiliar na compreensão e dar respostas para estas e muitas outras questões.

Artigo publicado em:22/08/2012 às 09:04