Voltar ao topo.

Convivência - 2

Como já vimos na edição anterior a nossa vida se inicia e se desenvolve em algum tipo de família, por isso, é importante conhecer algumas regras básicas de convivência que contribuirão para formar as estruturas do funcionamento familiar. Essas regras ou mandamentos poderão facilitar o entendimento entre as diferentes partes – o casal – podem impedir que surjam situações de conflito, constrangimento e até rompimento da relação, pois, a forma como a convivência se desenvolve marcará a identidade em formação de nossos filhos, crianças e adolescentes, e se refletirá em suas futuras relações familiares.

   

 Quanto a aplicação das regras de convivência Groismann (2006), destaca:

"... que elas seriam aplicadas ou instrumentalizadas pelo homem e pela mulher, integrantes do casal  ou da união, futuros pais  e principalmente integrantes ou líderes dos diferentes tipos de família.”

    Pois como temos treinadores de futebol, basquete, vôlei, etc..., os pais, como os jogadores e atletas, trazem suas potencialidades do que aprenderam como filhos em suas respectivas famílias, e que precisam ser aprimoradas para que se tornem pais mais adequados  ao seu tempo. A família também pode ser comparada a uma empresa  que necessita ser administrada para ter organização, hierarquia e comando, mas o autor destaca ainda que, a família é mais complexa que uma empresa comum, porque envolve laços afetivos e duradouros, parentesco e membros que pertencem a uma cadeia geracional, na qual há uma transmissão de valores e cultura, de uma geração a outra.

Assim sendo, para que seu time – a família – não perca o jogo, o autor sugere algumas regras para uma boa convivência!

1-    Não prometa felicidade!

2-    Não considere o parceiro como sua propriedade!

3-    Não ache que o parceiro é igual a você!

4-    Não se dedique mais aos filhos, à profissão ou somente ao casal!

5-    Não ignore a atividade profissional do parceiro!

6-    Não considere a sua família de origem mais importante que o seu casamento!

7-    Não traia sexualmente o parceiro!

8-    Não fique casado por causa dos filhos!

9-    Não desautorize o parceiro perante os filhos!

10-    Não assuma sozinha a educação dos filhos!

11-    Não dependa economicamente do parceiro!

Nas próximas edições irei comentar cada uma das regras descritas e como elas

podem contribuir para a boa convivência;
Artigo publicado em:22/08/2012 às 09:00